O Milênio

(baixe este estudo em PDF)

       "O SENHOR será Rei sobre toda a terra; naquele dia, um só será o SENHOR, e um só será o seu nome."  

(Zacarias 14.9) 

       O Milênio

       Quando o Senhor será Rei sobre toda a terra?

       Muitos crentes têm a convicção de que o Senhor ressurreto voltará a Jerusalém para reinar mil anos (Ap 20.1-6) -período chamado milênio. Segundo essa opinião. Cristo virá para tirar deste mundo os crentes e depois voltará com eles para estabelecer o seu reino milenar. O termo pré-milenarista mostra que a primeira parte da volta de Cristo acontecerá antes do milênio.

       Outra opinião entende que o reino ideal de Cristo será realizado mediante o impacto cada vez maior da igreja sobre o mundo. Nesse cenário pós-milenarista, Cristo voltaria depois do milênio. Segundo ambas as opiniões, tem-se em mente um período específico de mil anos: na primeira opinião, antecedido pelo arrebatamento; na segunda, concluído pela volta triunfante de Cristo.

       Em contrapartida, a opinião amilenarista entende que o prometido reino de Cristo se cumpre por meio da igreja e não por meio de um reino de verdade, sediado em Jerusalém. Essas opiniões, de ampla divergência entre si, demonstram a incerteza a respeito do cumprimento, embora todos os crentes tenham igual convicção de que Cristo reinará como Rei dos reis e Senhor dos senhores.

       Após esta breve introdução, é interessante ressaltar algumas particularidades acerca destas três posições defendidas atualmente sobre este assunto. O período de mil anos do reinado de Cristo descrito em Ap 20:1-10, normalmente chamado de "milênio", é entendido de várias maneiras pelos intérpretes. Os "pré-milenistas" acreditam que os mil anos vêm depois da segunda vinda descrita em 19:11-21. Depois da segunda vinda, Satanás está preso e Cristo traz um longo período de paz e prosperidade na terra. Alguns pensam nisso como sendo um período literal de mil anos e outros acham que o número significa um longo período de tempo. Os cristãos recebem corpos ressurretos no começo do milênio, mas o julgamento final para todos acontece no final, depois de uma rebelião liderada por Satanás. No século II, Justino Mártir e Papias estavam entre aqueles que tinham uma visão pré-milenista.

     Os "amilenistas" entendem o milênio como sendo uma figura do reino presente de Cristo e dos santos no céu (análogo a 6:9-10). A "primeira ressurreição" (Ap 20:5) se refere à vida de cristãos que morreram e que estão com Cristo no céu ou à vida em Cristo que começa com o novo nascimento espiritual (Rm 6:8-11; Ef 2:6; Cl 3:1-4). Satanás foi preso através do triunfo de Cristo na sua crucificação e ressurreição (Jo 12:31; Cl 2:15).

     Os "pós-milenistas" crêem que o reino de Cristo e da igreja irá experimentar uma expansão muito maior na terra antes da segunda vinda. Os mil anos são tidos como sendo um período final de triunfo cristão na terra, vindo depois da propagação do evangelho. Outros concordam com os amilenistas e identificam 20:1-6 com o período inteiro que começa com a ressurreição de Cristo.

     A discussão, em parte, tem a ver com a relação cronológica entre 20:1-10 e 19:11-21. Pré-milenistas acreditam que os eventos descritos em 20:1-10 simplesmente seguem a segunda vinda, que é descrita em 19:11-21. Mas 20:1-15 pode também representar um sétimo ciclo de julgamento que leva à segunda vinda. A batalha final em Ap 20:7-10 parece ser a mesma batalha final de 16:14,16; 17:14; 19:11-21. Uma linguagem semelhante à de Ez 38-39 é usada na várias descrições. O julgamento de Satanás em 20:10 é paralelo aos julgamentos contra a Babilônia (caps. 17-18) e contra a besta e o falso profeta (19:11-21). Estes inimigos de Deus estão destinados ao castigo eterno, e as visões que descrevem o seu julgamento podem ser descrições paralelas, e não eventos diferentes em seqüência. Certas características em 20:11-15 correspondem a descrições anteriores da segunda vinda (6:14; 11:18). O mais importante é que todos os inimigos de Cristo já foram julgados em 19:11-21. Se 20:1-6 representa eventos que vêm depois, não haverá sobrado ninguém para que Satanás pudesse enganar em 20:3.

     É preciso cuidado porque as diferentes posições milenaristas dependem da interpretação dos textos proféticos do Antigo Testamento, assim como destes versículos de Apocalipse. Além disso, como a maior parte de Apocalipse, 20:1-10 usa uma linguagem que, em princípio, pode ser legitimamente passível de múltiplos cumprimentos. Estes fatos tornam difícil a interpretação precisa (é a prerrogativa de Deus revelar somente o quanto for bom para nós sabermos sobre a ordem dos eventos futuros - At 1:7). O ponto principal é que Satanás será finalmente derrotado, e que, mesmo antes disso, Deus já toma conta dos seus santos e os abençoa através do seu reinado triunfante. Esta certeza deve confortar os cristãos, qualquer que seja a posição milenarista.